Artigos

Porque o Trabalho Padronizado Não é Padronizado? O programa Training Within Industry responde!

by luiz-felip on 01/17/2020

Prefácio da edição brasileira
Luiz Felipe Campos

Com muita satisfação venho apresentar a tradução deste artigo, criado para introduzir a gestores e líderes organizacionais sobre a poderosa ferramenta TWI. Jim Huntzinger seu autor que possui mais de 25 anos de experiência em TWI, o nomeou de: Porque o “Trabalho Padronizado” Não é Padronizado. Publicado em 2006, este material vem desde então despertando um forte desejo nos leitores, pois contextualiza como essa incrível metodologia promove abundância de resultados positivos de forma tão pragmática. Uma leitura simples e agradável que vai despertar sua curiosidade quanto a uma ferramenta conceituada e madura, com resultados comprovados por empresas de diversas áreas de atuação. Neste artigo o autor Jim apresenta de forma clara e objetiva, o porquê a metodologia TWI-Training Within Industry que foi desenvolvida na década de 40 durante o período da segunda guerra mundial, continua nos dias de hoje sendo referência, auxiliando empresas na busca por eficiência e resultado, através da implementação ou manutenção de uma cultura organizacional embasada em princípios Lean. Como afirmado por Tachi Ohno, criador do STP – Sistema Toyota de Produção, a estabilização das operações é fundamental para conseguir melhoria contínua, ou seja, o trabalho padronizado é a base de tudo. Também é muito bem apresentado pelo autor, como o TWI está inserido no STP e quais são seus benefícios, como por exemplo a utilização da metodologia junto ao PDCA de Edwards Deming. Pude observar participando de eventos Lean que as empresas no Brasil estão cada dia mais cientes da importância do trabalho padronizado, por esta necessidade, muitos gestores estão descobrindo o TWI e sua eficácia no teor de promover a tão esperada estabilização dos processos, alicerce denominado trabalho padronizado que por sua vez sustenta a cultura de melhoria contínua. Quando utilizado de maneira correta, esta pragmática ferramenta proporciona mudanças que se desencadeiam na transformação da cultura organizacional, para uma cultura onde os problemas ficam evidentes, são solucionados, e tendem a não voltar. Podemos dizer que o TWI é o caminho certo para a tão desejada cultura de manufatura Lean.
Sinceramente;

Luiz Felipe Campos
Fundador da Associação Brasileira de Praticantes do TWI
TWI Regional Master Trainer na Cooper Standard Automotive
Sócio diretor da LeanTrix (América do Sul)

Prefácio da edição brasileira
Jim Huntzinger

Muitas organizações e profissionais do modelo de negócios Lean têm usado o Toyota Kata, apresentado pela primeira vez por Mike Rother em 2009 em seu livro Toyota Kata: gerenciando pessoas para melhoria, adaptabilidade e resultados superiores. O aprendizado e a aplicação da habilidade kata tem sido muito benéfica para as organizações e os indivíduos que a aplicam, não apenas melhorias, mas superando desafios críticos e necessários em seus negócios. A integração do kata (kata de aprimoramento e kata de treinamento) em uma ampla gama de aplicativos, que vão do operacional ao estratégico, passando pela superação de desafios, maximizou o sucesso de mudar, melhorar e, o melhor de tudo, aprender, necessário para criar um ambiente competitivo para o negócio. Qual é a relevância da habilidade e aplicação do Toyota Kata em relação ao TWI (Treinamento na Indústria)? Um bom negócio! Na pesquisa e estudo que Mike Rother fez até a publicação da Toyota Kata, muitas das observações que ele e seus colegas fizeram e anotaram foram o resultado da aplicação direta das habilidades originais do TWI – Instrução de Trabalho (JI), Métodos de Trabalho (JM) e relações de trabalho (JR). O TWI permanece completamente relevante no ambiente industrial e de negócios, certamente, para qualquer organização que trabalha para se tornar uma empresa Lean. Continua a ser o conjunto de habilidades fundamentais para desenvolver os padrões de comportamento e, como resultado, os padrões de pensamento das pessoas que trabalham e aprendem a alcançar uma organização de alta performance. Muitas empresas de várias indústrias como manufatura, assistência médica, serviço e até organizações sem fins lucrativos, continuam a utilizar o TWI Treinamentos – J para desenvolver seu pessoal e criar uma cultura de aprimoramento, solução de problemas e perspicácia nos negócios para superar seus concorrentes. Espero que você goste deste artigo, pois explica o fundamental do TWI e por que continua sendo a base para construir uma organização voltada para o aprendizado, ou seja, uma empresa Lean.

Sinceramente;
Jim Huntzinger
Fundador e presidente Lean Frontiers

Por que o trabalho padronizado não
é padronizado:
TWI -Treinamento Dentro da Indústria responde

Se você trabalha com transformação Lean, mas nunca ouviu falar do Treinamento Dentro da Indústria (TWI), pois bem, agora você tem a oportunidade de conhecer. O Treinamento dentro da Indústria, “sem sombra de dúvida é o programa de treinamento corporativo de maior sucesso na história dos Estados Unidos” ¹, teve seu primeiro auge durante a segunda guerra mundial. E, após a guerra, se tornou parte importante do Sistema Toyota de Produção (STP). Hoje o TWI tem muita força nos EUA e ajuda as empresas a aumentar e manter os ganhos obtidos através de processos Kaizen.

Infelizmente, naquela época os americanos viram o TWI apenas como um programa para ser utilizado durante a guerra, não como uma prática permanente podendo ser aplicada no ambiente do trabalho. O TWI teve uma recaída no cenário americano ainda antes do fim da Segunda Guerra Mundial, logo que a vitória parecia garantida. Durante todo este tempo, a demora em decisões gerenciais tem sido o maior obstáculo para implementação do TWI, talvez por causa da atenção aos detalhes de como trabalho era realizado tendendo a levantar questionamentos da gestão em geral.

Após o fim da Segunda Guerra, o TWI foi iniciado no Japão junto as ferramentas de qualidade. A indústria Japonesa, ansiava aprender sobre a base industrial que os havia derrotado, e rapidamente fez da metodologia a base de seu treinamento industrial. Estabilizando e padronizando o trabalho, o TWI ajudou a melhorar na prática a qualidade ao executar atividades, minimizando boa parte das variações humanas dos processos. Na Toyota, Taiichi Ohno e outros reconheceram que o TWI “Programas-J” (apresentado logo a frente), ajudou muito na melhoria dos processos. Eles se tornaram parte crucial do Sistema Toyota de Produção. Sessenta anos depois, os cartões TWI traduzidos do japonês para o inglês ainda permanecem praticamente como eram durante a Segunda Guerra. Contudo, o TWI foi apenas uma das influências que moldaram o STP, subestimado no Ocidente, mas que nos dias de hoje atrai interesses no mundo todo.

Atualmente muitas empresas estão implementando métodos Lean e trabalhando também para criar uma cultura de melhoria contínua “no blame”“sem culpado”. Contudo, em muitas empresas a cultura Lean pode ser fracassada por não se dar a devida atenção ao trabalho padronizado, onde as empresas falham em sustentar os ganhos provenientes do processo Kaizen. O TWI ajuda as pessoas a superarem suas relutâncias emocionais de se adaptar a uma maneira padronizada de fazer as coisas – Trabalho Padronizado. Os Programas-J TWI permite que as pessoas entrem em um ambiente comportamental que elas nunca se aventurariam antes. Os japoneses também não conseguiram atingir o trabalho padronizado facilmente, Taiichi Ohno passou por essa mesma experiência. Ele percebeu que o TWI ajudava a quebrar a resistência dos operadores de sua fábrica. Resistência gerencial é outra história. Os “Programas-J” TWI garantem benefícios mesmo quando não sendo aplicado junto a práticas Lean, assim como utilizado durante a Segunda Guerra Mundial.

Em resumo:

O treinamento dentro da Indústria, originado por programas de treinamento com mais de 100 anos de história, é uma metodologia consistente e comprovada que por muito tempo tem sido uma “parte escondida” do sistema Toyota de produção (STP). Usando os programas-J do TWI pessoas se qualificam para descrever o trabalho, instruir o trabalho, e a sustentação das relações com os trabalhadores pode promover e manter o trabalho padronizado. A incapacidade de manter o trabalho padronizado é uma das maiores razões do porquê as práticas Lean ficam estagnadas ao invés de progredir em direção a autonomia, promovendo melhorias diárias. TWI faz sucesso mundialmente, e muitas companhias apresentam resultados memoráveis com está simples e eficiente ferramenta.

luiz-felipPorque o Trabalho Padronizado Não é Padronizado? O programa Training Within Industry responde!